O Dia Que Durou 21 Anos: a simbiose entre passado e o presente pelas lentes do cinema

Joana D’Arc Ferraz

Resumo: O objetivo geral deste artigo é refletir sobre é refletir, com Nietzsche e Foucault, sobre o uso que fazemos da História do golpe militar-empresarial brasileiro, por meio do documentário O DIA QUE DUROU 21 ANOS (Brasil, 2013) e de autores que, ainda na ditadura, nas décadas de 1970 e de 1980 do século passado, interpretaram este evento a partir do contexto político e econômico de dependência ao capital internacional. A démarche a estes autores brasileiros tem como foco analisar questões que, pelas mais variadas percepções, acabaram se empoeirando e se distanciando de nossos olhares.

Abstract: The objective of this article is to reflect, with Nietzsche and Foucault, about how we have made use of the Brazilian’s military-business blow history , through the documentary THE DAY THAT LASTED 21 YEARS (Brazil, 2013) and the authors who still in the dictatorship, in the decades 1970 and of 1980 of last century, interpreted this event from the political and economic context of dependence to the international capital. The approach of these Brazilians authors focus is to analyze questions that through the most varied reasons have become dusty and distant from our eyes.

Texto Completo em PDF:

Artigo Joana D’Arc O dia que durou 21 anos

Posted in Produção acadêmica.

One Comment

  1. Como entender o Estado produzindo impotência, limitando e vigiando as liberdades? Em Nietzsche ,o Estado divide o humano através do modelo platônico de pensamento, onde palavras ganham importância além da realidade viva do acontecimento. O Estado continua ao longo da História, criando argumentos discursivos que legitimam a violência estatal. A ditadura de 1964 foi mais um capítulo de uma luta entre memória e esquecimento, criação e morte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *