Uruguai

A ditadura civil militar no Uruguai, assim como em outros países da América Latina, implantou o neoliberalismo, com o apoio das forças armadas. Anterior a sua consolidação e ao golpe de Estado, o inicio da década de 1970 foi marcado pelos conflitos entre os partidos branco e colorado no movimento de liberação nacional coordenado pelos Tupamaros. Os Estados Unidos optaram por atuar de maneira com que suas ações desencadeassem a morte do líder Tupamaro, além da libertação de Dan Mitrione, que ficou responsável pelo ensino de práticas de tortura. Com Jorge Pacheco Areco no poder e posteriormente, Luís Maria Bordaberry, o Uruguai vivenciou um cenário marcado por uma grande tensão social e política. Diante desse contexto, no dia 27 de junho de 1973 Bordaberry anunciou publicamente a decisão da proibição de partidos políticos, além da substituição do parlamento por um conselho de Estado. Tinha início a primeira e única na história ditadura militar no Uruguai e a instauração de um regime empresarial-militar.

Sequestros, violações, prisões, torturas, desaparecimentos, assassinatos, fizeram parte do sistema ditatorial uruguaio. Estima-se que o Uruguai teve cerca de cinco mil presos políticos, além de medidas como a censura, suspensão dos meios de imprensa independentes, proibição do sindicalismo, suspensão dos recreios nas escolas secundárias e demissão de professores universitários também existiram. Na década de 1980, após plebiscito que sucedeu à perda nas urnas do projeto de uma nova constituição militar, fortes mobilizações tomaram o país, mais de 400 mil pessoas ocuparam a avenida principal de Montevidéu no “El Obeliscazo ou Um Río de Libertad” pelo fim da ditadura, que encerrou-se em 1984, após 12 anos de regime.

Autora: Jade Maria Aragão, graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense, integrante da Linha de Pesquisa “Cinema e Ditadura em Plataforma Virtual”, ligado ao grupo de pesquisa certificado no CNPq: “Subjetividade, Memória e Violência do Estado” Bolsista de Desenvolvimento Acadêmico (Proaes-UFF).

Referência Bibliográfica: 

Padrós, Enrique Serra. A ditadura civil-militar uruguaia, doutrina e segurança nacional*. Porto Alegre, 2012.

Disponível em:

VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol.28, n 495 o48, p.495-517: jul/dez 2012

Filmes que dialogam com essa temática: 

Uma Noite De 12 Anos – Alvaro Brechner (Drama, Uruguai, Espanha e Argentina, 2018)

Posted in Glossario.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *